Depois de decretada a condenação da estudante Mayara Petuso e uma ótima demonstração de que a internet não é uma terra sem leis, a Exame.com criou uma lista de 10 casos de pessoas que, por conta de declarações criminosas no Twitter acabaram por perder seus empregos.

#1 – Mayara Petruso

Como já sabemos, após a vitória de Dilma Rousseff nas eleições presidenciais, em 2010, a estudante do primeiro ano de Direito e na época, estagiária num escritório de advocacia, Mayara publicou em seu twitter que os nordestinos não eram gente e pedia que as pessoas fizessem o favor de matá-los afogados.

Pois bem, tal tuitada não pegou bem e logo no dia seguinte ela já estava demitida de seu emprego, havia trancado a faculdade e mudado de cidade.

#2 – Anthony Weiner

Esse caso aconteceu nos Estados Unidos e não teve tanta repercussão aqui no Brasil, mas o caso do, então deputado, Anthony Weiner tinha o hábito de manter trocar DMs (mensagens diretas) eróticas com algumas jovens. Um dado dia, Weiner soltou uma DM na timeline (quem nunca?) e uma foto sua trajado apenas de cueca foi disseminada na rede.

Não demorou muito até que várias outras fotos de Weiner fossem publicadas na rede. Em 2011 o caso já estava tão exposto que levou o deputado a pedir o afastamento do congresso. Nos Estados Unidos esse caso ficou conhecido como “Weinergate”.

#3 – Octavia Nasr

O caso da antiga editora da CNN é no mínimo curioso…

Logo após a confirmação da morte de um terrorista do Hezbollah, Nasr escreveu em seu perfil no Twitter: “Estou triste de ouvir sobre a morte de Sayyed Mohammed Hussein Fadlallah. Um dos gigantes do Hezbollah e que eu respeito muito”. Não demorou muito até que os seus seguidores protestassem contra sua frase e mesmo com a publicação de um pedido de desculpas e justificativa alegando que não apoiava de maneira alguma os atos terroristas, em julho de 2010 Octavia foi demitida de seu cargo. Segundo a emissora, o motivo da demissão é em relação a sua credibilidade.

#4 – Twitter oficial da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

No começo de 2012, em meio a toda euforia com o caso da Luiza – sim, aquela lá do Canadá – um funcionário que cuidava do perfil oficial da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (@imprensaPR), acabou por retuitar uma brincadeira pela conta errada (quem nunca?), mas que o alvo era um candidato do partido concorrente.

O tuite original dizia: “Com a volta de Luiza, quem tá indo pro Canadá é o Serra…”. Apesar de esclarecer que o retuite havia sido uma falha operacional, o autor do post foi demitido, a brincadeira deletada e comunicado um pedido de desculpas que dizia: “Pedimos desculpas a todos pela publicação não autorizada, hoje, neste perfil, do retuíte indevido de um site humorístico”.

#5 – Connor Riley

Após receber um convite para trabalhar na Cisco em 2009, a jovem americana Connor Riley, de 22 anos, escreveu em seu perfil o seguinte: “Cisco acabou de me oferecer um emprego! Agora eu tenho de pesar a utilidade de um cheque gordinho contra a viagem diária até São José e odiar o trabalho”.

Como seu perfil era público, seu tuite acabou sendo visto por um funcionário da Cisco que enviou a seguinte resposta: “Quem foi o gerente de contratação? Eu tenho certeza que ele adoraria saber que você vai odiar o trabalho. Nós aqui na Cisco sabemos mexer bem na internet”.

Após a resposta do funcionário da Cisco à Riley, ela acabou perdendo a oferta de emprego e o termo “Cisco Fatty”, ou “Cisco gordinha”, virou meme na rede.

#6 – Thiago Vieira

Durante a cobertura da eleição presidencial do clube de futebol Palmeiras, o fotógrafo Thiago Vieira, que até então trabalhava para o jornal Agora São Paulo, publicou em seu perfil pessoal o seguinte: “Enquanto os porcos não se decidem poderiam mandar mais lanchinhos e refrigerante pra imprensa q assiste ao jogo do timão na sala de imprensa”. Não bastando chamar os palmeirenses de porcos – neste caso num tom pejorativo -, o profissional ainda provocou alegando estar assistindo ao jogo do seu maior rival na sala de imprensa.

Para infelicidade de Thiago, um conselheiros do clube paulistano viu o tuite e prontamente se dirigiu à sala de imprensa e expulsou o fotógrafo. Em seu twitter ocifial, o Palmeiras disse: “após ofender a torcida, o fotógrafo Thiago Vieira não trabalhará mais no Palmeiras. O jornal para o qual ele trabalha já foi comunicado”. Apesar de não concordar com o tratamento dado a Thiago Vieira na sala de imprensa do clube, o jornal demitiu o fotógrafo e publicou em seu perfil oficial que o mesmo não prestava mais serviços para a empresa.

#7 – Gilbert Gottfried

Pelo visto, casos de comediantes que passam dos limites com suas piadas no twitter não é mérito apenas dos brasileiros, o comediante Gilbert Gottfried, logo após o terremoto e tsunami que destruiu boa parte do Japão, em 2011, escreveu em seu perfil pessoal: “O Japão é realmente avançado. Eles não vão à praia. A praia vem a eles”.

A empresa de seguros Aflac, a qual Gottfried era o dublador de seu mascote, não gostou nem um pouco da piada e decidiu dispensar o comediante do cargo.

#8 – Alec Duarte e Carolina Rocha

Logo após a confirmação da morte do ex-vice-presidente José Alencar em março de 2011, os jornalistas Alec Duarte, na época editor-assistente de política da Folha, e Carolina Rocha repórter do Agora SP, trocaram tuites no qual referenciavam uma prática um tanto comum no meio jornalístico, que é a de produzir os obituários de pessoas importantes que beiram a morte.

Apesar de não fazer referência a ninguém, Alec Duarte e Carolina Rocha acabaram sendo demitidos juntos, já que as duas empresas a qual cada um trabalhava, fazia parte de um mesmo grupo.

#9 – Vanderlei Luxemburgo

Insatisfeito com o desempenho do jogador Keirrison, na época em que era técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo teve a ~brilhante~ ideia de utilizar o twitter para fazer o seu desabafo em relação ao atacante… escolheu o twitter para desabafar. O técnico declarou: “O Keirrison não apareceu no treino. Também não me deu nenhuma satisfação. Mesmo se ele não for negociado, comigo não joga mais”.

Apenas duas horas depois do seu desabafo, Luxemburgo publicou que havia sido demitido do clube.

#10 – Alex Glikas

Mais um caso envolvendo futebol…

Se não me engano, o caso de Alex Glikas, na época diretor comercial da Locaweb, foi um dos mais bisonhos já ocorridos aqui no Brasil (pelo menos na minha opinião). No primeiro jogo o qual o time do São Paulo apresentava a marca da Locaweb em sua camisa, Glikas “vestiu” seu uniforme de torcedor fanático do Corinthians e iniciou uma séria de insultos à torcida e ao time do São Paulo, que naquele dia disputavam (São Paulo x Corinthians) um jogo pelo campeonato brasileiro.

Os torcedores do São Paulo, não satisfeitos com a atitude do diretor de uma das marcas estampadas na camiseta do seu time, iniciaram uma campanha nas redes sociais pedindo a demissão de Glikas. Alguns dias depois, a Locaweb anunciou o desligamento do diretor comercial. Glikas ainda chegou a publicar uma nota de arrependimento em seu perfil: “Minhas sinceras desculpas à torcida e ao time do SPFC. No calor do clássico, o torcedor tomou conta do profissional. Não acontecerá de novo.”, como ele bem previu, o caso não aconteceria de novo, já que ele não tinha mais o emprego.

Após de uma série de exemplos como os citados acima, acho que seria muito redundante alertá-lo sobre o uso coerente de seu perfil no twitter. Sempre tenha em mente que a internet nunca esquece das coisas!

Via Exame

1 de 4612345

Tema criado por Joares Miranda

utilizando wordpress