Especial Expo Y
Se você está ligado no NumClique, já está sabendo da Expo Y, evento que está acontecendo até essa quarta-feira em São Paulo. Como não poderia deixar de ser, nós fomos ao segundo dia do evento, que rolou ontem, e trouxemos o melhor para você.

Veja também: o que aconteceu no primeiro dia da Expo Y

Recrutamento via redes sociais

Recrutamento

Alessandra Pecoraro (vagas.com.br), Tiago Yonamine (@trampos) e Pedro Superti (Dynamo) discutiram como as redes socias estão influenciando o departamento de RH das empresas. A Alessandra é especialista em recrutamento, e mostrou, por exemplo, que a divisão entre grupos específicos (por exemplo, profissionais de determinada área formados em certa instituição) ajuda não só o vagas.com.br, mas também as empresas que divulgam no site, a eliminar etapas desnecessárias do recrutamento e aumentar a eficácia do processo. Falaram também sobre como as as ações de uma pessoa nas redes sociais podem impactar positiva ou negativamente sua busca por conseguir (ou manter) um emprego – como um profissional que precisa lidar com prazos curtos anunciar abertamente que não sabe trabalhar sob pressão, ou o caso Mayara Petruso (que, além de enfrentar a fúria do país, foi demitida após as declarações contra nordestinos em seu Twitter). Superti, que lida com o recrutamento na Dynamo, explicou um pouco sobre o processo diferenciado de seleção usado na empresa, que inclui até um vídeo feito pelo candidato explicando por que ele deve ser selecionado.

O bicho pegou! E agora?

Nesse painel, Francisco Albuquerque e Israel Degásperi discutiram como gerenciar crises internas em uma empresa, e a importância de delegar funções, mas de centralizar o contato com o consumidor. Alguns dos pontos mais importantes abordados foram a questão de privacidade (cliente reclama da empresa nas redes sociais, a empresa contata o cliente para resolver o problema, o cliente reclama de invasão de privacidade) e como gerenciar, em uma empresa com vários setores, o contato via redes sociais (quando um cliente possui uma dúvida ou problema técnico, a responsabilidade de respondê-lo é da área de comunicação – mas o profissional dessa área deve ir atrás dos setores responsáveis por resolver o problema/sanar a dúvida). Outra questão marcante nesse painel foi, também, a importância de se ter gente qualificada para exercer o canal de comunicação (tanto nos meios tradicionais como nas redes sociais), tomando-se cuidado para fugir da famosa “sobrinhagem”, ou para não botar alguém de outro setor responsável por essa área.

Jonny Ken, do Migre.me, também foi convidado, mas não pôde comparecer ao painel por problemas de saúde.

Minha ideia virou!

Virou

Vários cases de sucesso foram mostrados nesse painel, mediado por Daniela Costa. Amure Pinho (Sync Mobile), Felipe Salvini (Sieve) e Tiago da Fonte (Mobiclube) contaram suas histórias enquanto empreendedores, e como cada um conseguiu se destacar no desafio de empreendedorismo da Campus Party.

Amure, que já teve várias empresas (algumas bem sucedidas, outras não – e ainda tem um restaurante, além da Sync), contou como o Live Sync, aplicativo que cria interfaces mobile para sites tradicionais em questão de segundos, ajudou a empresa a se destacar no mercado. Falou ainda que, para empreender, o importante é estudar muito, pesquisar o mercado, validar a ideia e só então buscar por o projeto em prática.

Salvini, da Sieve (empresa de consultoria que ajuda lojas a monitorar seu desempenho em sites de comparação de preços), também não é novo no empreendedorismo. “Tive uma empresa de hospedagem de sites, comecei em 2003. Vendi-a em 2005, com mais de 500 clientes. Gostei de empreender e abri uma empresa de VOIP. Foi o maior tombo da minha vida”, conta, mostrando que não é só de sucessos que se faz um empreendedor. Felipe contou também que a Campus Party alavancou a sua empresa: “Só tinha um cliente quando participei do evento. Saí de lá com mais de 20”.

Tiago, com a Mobiclub, ganhou o desafio Campuseiros Inovam, na Campus Party desse ano. Além de R$100 mil e um mentor, levou para casa muito networking. A Mobiclub é uma solução para pagamentos pelo celular: em vez de usar seu cartão, faça o pagamento em um restaurante, boate ou qualquer estabelecimento simplesmente acessando o site/app do serviço. Ele ressaltou a importância do feedback negativo, para aprimorar o negócio, corrigindo os erros que as críticas detectarem. Ele também comentou que deve-se expor a ideia, sem medo de ser copiado: somente assim o feedback poderá ser mais amplo, e o networking aumenta. Por fim, ele falou da importância que ser jovem teve no seu caso: sem família para cuidar, por exemplo, ele pôde dedicar-se mais a fazer a empresa prosperar e menos a preocupações, como contas a pagar.

Hype: fantasia x realidade

Hype

Feras da comunicação discutiram quais tendências vão vingar e quais são somente “fogo de palha” no meio tecnológico. Gustavo Ziller, Michel Lent e Marcelo Tripoli conversaram sobre o real significado de hype, como o termo é usado pejorativamente hoje, e como as empresas podem se aproveitar do hype para criar ações de marketing pontuais, usando artifícios como virais. Pedro Porto mediou o debate, e a conversa foi bem aberta, contando com a participação da plateia desde o princípio (quando, na maioria dos paineis, os espectadores só eram convidados a perguntar ao fim do debate).

Tripoli lembrou que o hype, apesar de importante, não é a única nem a principal ferramenta de inovação nas empresas: “As coisas que estão bombando hoje começaram a ser desenhadas 10 anos atrás”, disse. Por falar em inovação, ele lembrou que as maiores responsáveis por isso são as startups, empresas grandes acabam por não inovar devido ao excesso de capital. “A restrição é o pai da inovação”, segundo ele. Não por acaso, a maioria das novidades que vemos em empresas grandes são oriundas de serviços pré existentes, criados por empresas pequenas, que acabam sendo compradas pelas grandes.

Se o trânsito colaborar, mais tarde estaremos de novo na Expo Y, cobrindo o último dia do evento. Fiquem ligados!

Comentários

Atenção! Todos os comentários são sujeitos à moderação, pois não queremos passar aos leitores comentários que não condizem com o que estamos comentando, como exemplo: xingamentos, vírus e outras informações com sentido parecido. Lembrando que aceitamos a sua opinião e críticas são bem aceitas quando possui coerência com o que estamos falando. Deixe seu comentário e entre na conversa.

Nome

E-mail

Site

Comentário

Olha quem está falando

Natercia Melo

20 de julho de 2011

Parabéns pela cobertura!
Esotu ligada aqui! 🙂

Luiz

20 de julho de 2011

Perdi… Queria tanto, mas TANTO, ter ido. Obrigado ao resumão! Pelo menos a gente fica sabendo o que rolou de mais bacana por lá!

Tema criado por Joares Miranda

utilizando wordpress