Quem um dia imaginou que as peças intimas seriam um dia usadas para algo além da higiene? Pois bem, o pesquisador Joseph Wang, da Universidade da Califórnia San Diego, desenvolveu biosensores que podem ser impressos diretamente em roupas e ajudarão a medir, não só o estresse de seus donos, mas também ajudar no monitoramento de pacientes após a alta hospitalar.

Pensando em uma maneira confiável e “usável” de medir alguns aspectos fisiológicos e, assim, vigiar o paciente, Wang e sua equipe criaram sensores químicos de eletrodos de carbono impressos diretamente nos elásticos de cuecas. O pesquisador defende que o uso do sensores na cueca é mais eficiente porque, diferente das camisetas/bermudas, a cueca dica apertada contra o corpo continuamente e com isso permite que o peróxido de hidrogênio e as enzimas NADH sejam monitorados. Ambos são associados a uma grande quantidade de processos no corpo.

A pesquisa também comprovou que dobrar e amassar a cueca não afeta a performance do sensor.

A equipe pretende ajudar a monitorar mais substâncias, como as relacionadas ao estresse e consumo de drogas, e desenvolver produtos voltados para atletas e militares. Um dos objetivos é criar um sensor de enzimas para etanol e lactato, o que poderia ser usado para medir a quantidade de álcool no sangue de alguém e mostrar os níveis de stress no organismo.

Via Info Plantão

Comentários

Atenção! Todos os comentários são sujeitos à moderação, pois não queremos passar aos leitores comentários que não condizem com o que estamos comentando, como exemplo: xingamentos, vírus e outras informações com sentido parecido. Lembrando que aceitamos a sua opinião e críticas são bem aceitas quando possui coerência com o que estamos falando. Deixe seu comentário e entre na conversa.

Nome

E-mail

Site

Comentário

Olha quem está falando

Alexandre

17 de junho de 2010

Puxa, mas no saco? Ai meu saco

Tema criado por Joares Miranda

utilizando wordpress